Região vive suspense pelo desfecho definitivo do licenciamento do bloco 59 da Petrobras, que poderia abrir caminho para exploração petrolífera em áreas onde o risco de vazamento atingir manguezais é maior